Paz de Cristo galera! Tudo bem com vocês?
Bora com mais um devocional! Amo tanto essa parte no blog gente rsrs falar das coisas de Deus é bom demais, neh!  E hoje o tema é super interessante, principalmente pra nós mulheres, que temos os sentimentos mais aflorados que os homens, e sofremos mais com isso.
A mensagem é o resumo de uma pregação da Dra. Ilma Cunha, que é psicanalista, autora e também ministra a Palavra de Deus pelo Brasil afora. Vale a pena ler.
doenças psicossomáticas
O texto base é em Eclesiastes 3:1,2- 
Tudo tem o seu tempo determinado, e há tempo para todo o propósito debaixo do céu. Há tempo de nascer, e tempo de morrer; tempo de plantar, e tempo de arrancar o que se plantou;
 Eclesiaste 3: 11- Ele fez tudo apropriado a seu tempo. Também pôs no coração do homem o anseio pela eternidade; mesmo assim este não consegue compreender inteiramente o que Deus fez.
 Deus pôs no coração do homem o anseio pela eternidade, e somos movidos por esse anseio.
Porém, no decorrer da vida, vamos nos envolvendo com tantas coisas no dia a dia, em especial a mulher, que por vezes tem que abraçar inúmeras tarefas, e ser sempre tão forte, tão batalhadora, que vai se embrutecendo, perdendo a ternura e a essência na qual foi criada. Muitas só se permitem sensibilizar novamente pela doença.
Somos talhadas por Deus para amar, sermos ternas, afetuosas, e se nos embrutecermos a ponto de não conseguirmos amar, é sinal de que fomos saqueadas em nossa essência.

A mulher começa a trabalhar, ganhar reconhecimento, elogios, pois as competências femininas se destacam e têm sido muito valorizadas pelas empresas, porque, afinal, fomos feitas por Deus como ajudadoras e temos habilidade pra isso. Mas ser multitarefas têm nos deixado estressadas, nervosas, briguentas, autoritárias, sem afetividade, sem tempo para nós mesmos, sem tempo para o marido e filhos.
Em Êxodo 5:7 ( em diante) vemos Faraó dando mais tarefas ao povo de Deus, deixando-os ainda mais cansados. Trazendo pro nosso contexto hoje, a mensagem não mudou. O inimigo das nossas almas tem feito o mesmo com nós mulheres, aumentando nossos compromissos, não deixando com que tenhamos tempo pra passar os princípios de Deus pra próxima geração, não deixando elas amarem seus maridos e filhos.
Nesse texto de Êxodo o povo deixa de buscar a palha pra buscar restolho. Palha, nesse contexto, é tudo o que é necessário e vale a pena investir tempo, como exemplo, nossa família, tempo com Deus, estudar... e restolho é tudo aquilo que não agrega valor pra nossa vida, e perdemos tempo com ele.
 Por isso devemos prestar atenção em onde temos investido nosso tempo. Temos que constantemente verificar aquilo que precisamos abrir mão.
Esse peso sobre as mulheres tem causado doenças no corpo e na alma, e muitas vezes em nosso corpo, uma dor denuncia um sofrimento psíquico. Doenças psicossomáticas, doenças na pele, uma enxaqueca que nos faz ficar no quarto escuro, deitadas em posição fetal...isso é um comportamento de regressão, que busca afeto.
A ansiedade também é outro indicador desses excessos e curas necessárias. Na ansiedade, a pessoa vive o hoje,tentando se proteger de sofrer no amanhã, uma dor que já experimentou no ontem.
Quando sofremos uma dor, nossa reação é falar: Nunca mais ninguém vai me machucar! E automaticamente nos tornamos defensivas, irritadiças, agressivas, pavio curto, tudo como forma de defesa pra não sofrer novamente.
Um indicador bem conhecido nos dias de hoje: a síndrome do pânico, que é a angústia do desamparo infantil, que produz um coração turbulento. Geralmente as pessoas acometidas por esse mal, passaram por um desamparo tão grande na infância, que produziu uma tão grande angústia, porque não tinha ninguém pra lhe proteger, que aquela sensação ruim ficou guardada no peito. E na fase adulta, quando surge uma situação, a angústia reaparece produzindo pânico, sensação de morte, taquicardia,oscilação na pressão arterial, sudorese e outros sintomas compatíveis com a síndrome do pânico.
E o que dizer da depressão, o mal do século! Segundo a Organização Mundial de Saúde, ela é uma das doenças que mais vai ceifar vidas futuramente, perdendo apenas para as cardiopatias e para o câncer.
A depressão é a demissão de si mesmo...por trás de toda depressão há um quadro de raiva recalcada. A raiva que o indivíduo não direcionou para o outro, ele direciona para si mesmo, se demitindo assim da alegria, dos seus sonhos, se tornando alguém sem vitalidade, sem motivação pra viver.
Mas Deus sabe exatamente onde ocorreu o ponto da dor na nossa história e pode reverter pra um ponto de cura. Ele sabe que quando mergulhamos nesses sintomas, vamos morrendo um pouquinho a cada dia, e não é esse Seu plano pra nós.
Há também a infertilidade, cujo índice vem crescendo a cada dia. Em muitos casos há questões emocionais não resolvidas. Toda mulher quando engravida, reedita a gravidez da sua mãe com ela. Uma mulher é mãe em referência a sua mãe; trazemos em nossa mente todos os registros da nossa história.
Muitas mulheres tem medo de ser mãe porque se sentem incapazes de dar conta da vida de uma criança.
Mas a parte boa, é que Deus não nos deixa alheios a essas questões, e sempre revela essas coisas a nós através de sua Palavra. Ele é Senhor do tempo e do espaço, e pode ir conosco no momento difícil da nossa história e nos curar.
Permita-se ser curada! Troque seu fardo pesado, pelo dEle que é suave, e verá a diferença. Não queira carregar o mundo nas costas e vencer na força do seu braço, porque uma doença física ou emocional pode vir e destruir tudo. Renda-se ao Criador, e volte a docilidade na qual você foi criada! E se for necessário deixar coisas, lembre-se que certas perdas, na verdade, são ganhos!

Benção demais neh amores! Fiquei maravilhada e me vi em vários ítens citados nessa Palavra. É Deus falando, e nos chamando devolta a Ele!
Espero que Deus tenha falado com você também! Curta, comente, compartilhe, permitindo assim que outros corações sejam alcançados. Deus abençoe!
Deixo aqui meu convite pra acompanhem também nas outras redes sociais :
Fan Page: Estilo Mulher Virtuosa | Instagram: @estilomulhervirtuosa


Deixe um comentário