Olá virtuosas! Olha nós aí com devocional abençoado novamente. Amo tudo que envolve as coisas de Deus, isso me aproxima dEle...e no mundo que vivemos, onde as coisas tem ficado cada vez mais estreitas, pra onde mais poderemos ir,  não é mesmo?! Não há lugar melhor que o colinho de Papai.
Então vamos aprender um pouquinho mais com Aquele que tem tanto a nos ensinar.
mulher virtuosa
Ester 4:5 ao 17 nos conta parte da história da rainha Ester, no episódio onde ela e os judeus entraram em jejum por conta da trama que foi feita contra a vida deles, e esses versículos nos ensinam lições tremendas.
As vezes pensamos que aqueles (as) que são bem sucedidas na carreira ou cuja aparência estejam ótimas, não têm aflições, ou têm uma vida muito diferente da nossa. Ester era uma rainha...que problemas uma rainha poderia ter que não fossem sanados de imediato? Isso talvez é o que a maioria pensava, mas nós que conhecemos o enredo da história por dentro, sabemos a aflição que ela passou. Todos enfrentam desafios e tem níveis de batalha pessoal a vencer, assim como foi com Ester. Temos que nos conscientizar que todas nós temos nossa trincheira. E geralmente queremos que o outro ore por nós, convocamos outros pra lutar nossa guerra, mas temos que entender que parceiras de oração é uma coisa, jogar a responsabilidade nas costas de outros é outra coisa.
Jejum e oração não é uma opção, e sim, parte fundamental do nosso relacionamento com Deus. Se suas orações têm sido apenas nas horas das refeições e de dormir, seu relacionamento com Deus é apenas superficial e você está adaptado ao club social dos evangélicos. A verdadeira Igreja é formada por pessoas que têm relacionamento com Deus, e sem diálogo não existe relacionamento.
Toda mulher se inspira e é discipulada para o bem ou para o mal. E fundamental na vida de Ester foi Mardoqueu, nele, ela encontrou um bom conselho. E quantas vezes recebemos maus conselhos frente a nossa dificuldade. A própria Palavra de Deus nos adverte " Não se deixem enganar: "as más companhias corrompem os bons costumes". (1 Coríntios 15:33). Então, fuja de pessoas que vêm com conselhos diferentes do que a Palavra de Deus nos ensina, pois não vão te levar a um bom caminho.
Sabe aquele líder que "pega no seu pé", chama sua atenção, tanto te corrigi? Então, ele é bem de Deus pra sua vida; é ele quem Deus está usando pra forjar seu caráter para o que vem por aí; e é esse que te ama de verdade! Claro que não gostamos de  ser confrontados e repreendidos. Mas lembre-se: 
"Leais são as feridas feitas pelo amigo, mas os beijos do inimigo são enganosos." ( Provérbios 27:6)
Mardoqueu foi esse homem na vida de Ester, e precisamos de Mardoqueus em nossa vida, pra nos discipular da maneira correta.
As séries, novelas, filmes e afins estão por  aí discipulando toda uma geração. Os jovens olham e querem ser como aquele artista, frequentar os mesmos lugares, vestir as mesmas roupas, e até os comportamentos errados eles querem imitar...mas a parte que ninguém conta é que o salário do pecado é a morte! Então seja seletivo com o que assiste e ouve, para o seu próprio bem. Você é aquilo que você come espiritualmente.
E é incrível como temos disciplina quando nos comprometemos com a beleza ( como Ester fez ), ou qualquer outro assunto, mas não nos comprometemos quando o assunto é orar e jejuar. Daí vemos Deus usar alguém, e pensamos: Mas porque o Senhor não me usa assim? A resposta é: Deus não tem filhos prediletos, mas tem filhos que preferem sua presença. Aí está o segredo!
Jejum não é fazer promessas ou barganhas com Deus. Jejum é pra gente desentulhar nosso coração e entendermos o que Deus está falando, qual sua direção pra nossa vida. É um tempo de proximidade com o único que pode nos dar estratégias e sabedoria pra agir nas situações, assim como foi no caso de Ester.
Outra conduta que temos até inconscientemente, da qual precisamos nos libertar, é a forma que tamponamos as coisas erradas que existem em nós. Fazemos isso nos entupindo de comida, de compras, ou outras atitudes excessivas. Quando na verdade, Deus nos manda ir pro quarto, fechar a porta, dobrar os joelhos e nos derramar perante Ele. Isso não nos deixar com um rombo nas finanças e ainda vai nos fazer conhecer Deus de perto!
Lucas 11:1 ao 4- "E aconteceu que, estando ele a orar num certo lugar, quando acabou, lhe disse um dos seus discípulos: Senhor, ensina-nos a orar, como também João ensinou aos seus discípulos. E ele lhes disse: Quando orardes, dizei: Pai nosso, que estás nos céus, santificado seja o teu nome; venha o teu reino; seja feita a tua vontade, assim na terra, como no céu. Dá-nos cada dia o nosso pão cotidiano; E perdoa-nos os nossos pecados, pois também nós perdoamos a qualquer que nos deve, e não nos conduzas à tentação, mas livra-nos do mal."
O jejum é uma disciplina espiritual tanto quanto a oração. Sou poderosa quando oro e jejuo!
Quem diz quem somos não são nossas redes sociais, mas sim nosso íntimo com Deus em nosso quarto.
Mateus 4:1 ao 4- "Então foi conduzido Jesus pelo Espírito ao deserto, para ser tentado pelo diabo. 2 E tendo jejuado quarenta dias e quarenta noites, depois teve fome; 3 E chegando-se a ele o tentador, disse: Se tu és o Filho de Deus, manda que estas pedras se façam pães. 4 Ele, porém, respondendo, disse: Está escrito: Nem só de pão viverá o homem, mas de toda palavra que sai da boca de Deus." Nessa passagem vemos que até Jesus inaugurou seu ministério jejuando 40 dias, e nós pensamos que não precisamos jejuar. O jejum é a renúncia do que é mais essencial ao homem e a primeira coisa que ele nos ensina é a fragilidade do homem. Pra que nos ensoberbecemos se 24hs sem comer já nos deixa tremendo? O jejum e a oração demonstram nossa dependência diante de Deus. Pode ser compartilhado, como foi o de Ester, mas antes de tudo, deve ser uma prática particular e íntima.
É claro que há casos e casos. Por exemplo, os diabéticos não podem ficar muito tempo sem comer , então não há como fazer muito tempo de jejum de alimento nesses casos. Mas há vários outros jejuns que podemos e devemos fazer pra nos desintoxicar. Jejum de fofoca, de conversa fiada, de compras desnecessárias, de rede social também são bem vindos!
E é incrível como nesse período a nossa percepção espiritual e autoridade aumenta, pela nossa submissão a Cristo. Nossos radares são acionados e começamos a discernir muito mais as coisas. O jejum nos dá uma armadura, uma cobertura extra. Não conseguimos discernir porque é espiritual. É uma arma, uma capacitação vinda da parte de Deus!
Porém, o jejum dissociado da obediência a Deus é apenas uma prática religiosa.
Outro ponto que merece atenção é se você jejua e não ora. Isto não é jejum, e sim dieta! Oração é parte fundamental dessa prática.
Isaías 58 fala sobre jejum, e se não praticarmos a justiça e os mandamentos de Deus não nos governarem, o jejum também é vão.
-Aaah, mas Deus falou que vai mudar minha família, então não preciso me sacrificar tanto com essas coisas.
Então seja cooperadora de Deus! Coloque a sua capacidade a serviço do cumprimento das profecias. Ore, jejue, gere espiritualmente o que Deus quer fazer em sua casa. E você vai receber orientação, estratégia, direção e capacitação da parte de Deus pra conquistar essa vitória.
Ester sabia disso, quando entrou na presença do rei ela tinha uma estratégia de Deus. Mas também tinha uma convicção: se perecer, pereci!

Ah como eu amo essas palavras abençoadoras! São luz que me iluminam em meio as mais duras batalhas. E sei que são conselhos preciosos não só pra mim, mas pra todas que lerem! Esse foi o resumo de uma pregação da pastora Helena Tannure, e abaixo esta o vídeo da Palavra completa.

 Que Deus tenha falado com você também, e se você gostou, deixe seu comentário abaixo, siga o blog pra não perder nadinha e compartilhe em suas redes sociais, é benção! Deus abençoe e até a próxima.
Deixo aqui meu convite pra acompanhem também nas outras redes sociais :
Fan Page: Estilo Mulher Virtuosa | Instagram: @estilomulhervirtuosa

Deixe um comentário